Seguros

Porque deve ter um mediador de seguros?

aconselhamento em seguros
Written by Gisela Marques

Quando resolve fazer um seguro pelas mais variadas razões ou quando tem mesmo de o fazer, por ser obrigatório em caso de aquisição de bens imobiliários, empréstimos para obras, entre outros, deve pensar duas vezes. O panorama mudou e, por exemplo, a banca já não pode obrigá-lo a contratar determinado seguro.

O que é afinal um mediador de seguros?

O mediador de seguros é uma pessoa, singular ou colectiva, que pode revestir a categoria de agente, mediador ou corretor, consoante a sua estrutura, organização e independência face às seguradoras, e funciona como um intermediário entre a seguradora e o consumidor na contratação de seguros e consequente transferência de riscos da esfera do consumidor para a da seguradora.

O profissional da mediação de seguros só poderá trabalhar nos ramos em que está habilitado, podendo enveredar por uma carreira de Agente de Seguros, Corretor de Seguros ou Mediador de Seguros dos Ramos Vida ou Não-Vida. Para tal, é necessário realizar uma formação obrigatória, nomeadamente um curso de Mediador de Seguros. Sendo necessário que esse curso seja reconhecido pelo Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões, validando assim o ingresso na actividade de Mediação de Seguros.

Soluções e responsabilidades

Os mediadores estão por dentro do mercado com conhecimento aprofundado, trabalham com várias seguradoras e podem, dentro desse contexto, propor-lhe a melhor solução para o seu caso. Tem também a vantagem de poder ter um interlocutor único para tratar dos sinistros ou qualquer outra questão que surja.

O mediador tem responsabilidade civil perante o tomador do seguro, os segurados, as pessoas seguras, os beneficiários e as seguradoras pelos factos que lhe sejam imputáveis e que se espelhem no contrato em que interveio, estabelecendo alterações nos seus efeitos tal como requeridos pela vontade expressa dos contratantes, bem como por todas as consequências decorrentes do não cumprimento das obrigações legais que lhe são impostas nos termos do decreto-lei que regulamenta a sua actividade.

Como fazer então?

Os seguros podem ser negociados à parte, para novos créditos ou antigos. Caso já tenha um crédito à habitação e queira renegociar para baixar custos, o banco só lhe pode aumentar o spread se estiver no contrato (documento complementar) que assinou. Ainda assim, muitas vezes compensa, uma vez que há bancos cuja penalização é baixa e até bancos que não o obrigam a ter tantos produtos associados ao crédito (domicialização de ordenado, seguros, cartão de crédito). Há situações em que os seguros lhe podem custar metade ou menos do que está a pagar. A mediação de seguros pode aconselhá-lo de modo profissional – perceba o que pode ser uma oportunidade para poupar dinheiro.

 

Sobre o autor

Gisela Marques

Gisela Marques é formada em comunicação social. Trabalhou sobretudo na imprensa escrita na área cultural, tendo passado pelos universos da edição e do audiovisual. Faz crítica especializada para a imprensa e escreve na Carteira sobre temáticas diversas, da Cultura às Finanças Pessoais.

Deixe o seu comentário:

SIMULE JÁ O SEU CRÉDITO COM A NOSSA AJUDA!