Legislação Poupança

Onde estão os nossos descontos para a Segurança Social?

segurança social
Written by A Carteira

Muitas pessoas se perguntam onde estão os seus descontos para a Segurança Social. Se descontamos muito dinheiro todos os meses porque é que nos dizem que não vamos ter reformas? Será que isto é verdade?

Como são financiadas as reformas em Portugal?

Para perceber o que está por detrás dos receios de muitas pessoas temos de perceber como são financiadas as reformas em Portugal. O sistema público de pensões é um sistema de repartição. Tal significa que quem está atualmente no ativo irá suportar os custos de reformas de quem está atualmente reformado. Daí que se fale muitas vezes de solidariedade entre gerações.

O que significa solidariedade entre gerações?

Para justificar que quem está atualmente a trabalhar suporte um encargo para o qual não foi tido nem achado é necessária alguma criatividade. Podemos ter aqui dois argumentos de natureza distinta:

  • Quem está atualmente reformado beneficiou dos investimentos daqueles que vieram antes em áreas tão distintas como a educação ou a saúde. Na teoria este argumento é válido mas para tal é necessário que estes custos sejam equiparáveis aos custos com as reformas, o que não é verdade.
  • Quem está atualmente a descontar irá beneficiar dos mesmos direitos no futuro. Para tal estamos a fazer futurologia e a acreditar na credibilidade ou sustentabilidade do sistema público de pensões o que não é algo garantido.

Onde estão os nossos descontos afinal?

Algumas pessoas têm a ilusão de que o dinheiro que têm descontado todos os anos é guardado numa conta bancária com o seu nome. Esperam que no futuro possam beneficiar do dinheiro que teoricamente guardaram. Tal não poderia estar mais longe da realidade. Como vimos, o dinheiro que desconta é logo gasto a pagar reformas sendo o valor que resta destinado a um fundo de investimento que servirá de reserva.

O que quer isto dizer para o seu futuro?

Se são os trabalhadores no ativo que pagam as reformas dos reformados e para que o sistema seja sustentável é necessário que:

  1. Os ativos sejam mais do que os reformados, o que com o envelhecimento da população deixa de ser uma realidade;
  2. Os ativos tenham vencimentos superiores aos reformados, o que deixou de ser verdade para a geração dos €1.000;

Qual a principal mensagem a reter?

Cada vez se torna mais necessário poupar dinheiro para pagar as nossas reformas. Deveremos pensar que a reforma do sistema público de pensões deve servir os mínimos de subsistência e procurar poupar o restante para garantir que temos a qualidade de vida que desejamos. Podemos não o fazer e acreditar que as coisas irão alterar mas parece-nos que devemos assumir uma postura de grande prudência ou conservadorismo.

Existem produtos que foram pensados para o aforro de longo prazo. São os planos poupança reforma, os seguros de capitalização ou os fundos de pensões. Estes produtos têm um conjunto de benefícios fiscais que não deverá ignorar que podem torna-los soluções interessantes para as suas poupanças. Não se esqueça ainda de diversificar os seus riscos e assumir algum risco para procurar obter mais retorno e beneficiar do efeito dos juros compostos.

Sobre o autor

A Carteira

A Carteira é constituída por uma equipa de profissionais com muita experiência no setor financeiro. A nossa missão é ajudar as famílias a ter uma melhor relação com o dinheiro. Acreditamos que é possível poupar dinheiro, investir tempo e dinheiro na melhoria das nossas condições de vida. E estamos cá para ajudar com os conteúdos para que possa tomar as melhores decisões financeiras.

Deixe o seu comentário:

NOS


<%-- negocios e empreendedorismo --%> Blogs do Ano - Nomeado Negócios e Empreendedorismo