Poupança

Já cumpre com os 3 P’s da Poupança?

Written by A Carteira

Quantas vezes já pensou que gostava de fazer uma poupança? Quantas vezes já começou a fazê-la, mas desanimou ao fim de pouco tempo? Quantas vezes já disse que só quando ganhar muito dinheiro é que pensa nisso? Conheça os três Ps da poupança e comece a poupar o quanto antes.

É normal que todos estes pensamentos já lhe tenham passado pela cabeça. Todo o ser humano precisa de ter retorno do investimento e muitas vezes o retorno na poupança é algo que demora no tempo. Vivemos na era do imediatismo e preferimos investir no euromilhões para ganhar tudo de uma vez, do que fazer como a formiga que paulatinamente vai trabalhando para assegurar o seu futuro. Para conseguirmos ser fieis ao bom propósito de fazer uma poupança, devemos cumprir com 3 pressupostos. Aquilo a que gosto de chamar a Regra dos 3 P’s da Poupança:

Pouco

A primeira tentação que tipicamente nos faz adiar a poupança é achar que só quando tivermos algum dinheiro para pôr de lado é que o vamos fazer. Desconsideramos com muita facilidade o valor de 1 Euro. Pensamos que quando estamos a falar de poupança estamos a falar de algo como 10% do ordenado, ou então só poupamos em caso de receitas extraordinárias, como por exemplo o eventual reembolso do IRS, ou o envelope da madrinha no Natal!

Estabeleça para si que o mais importante para a poupança é a recorrência e não a grande quantidade. Claro que quanto mais poupar, melhor, e poupar 10% do salário seria um excelente objetivo, mas não deixe que essas metas ambiciosas adiem a poupança como um hábito enraizado no seu quotidiano.

Possível

Se o valor que se propõe poupar não for algo adaptado à sua realidade, então a poupança não irá durar muito tempo. De que nos serve começar a poupar 10% do salário, se passados 2 meses já não conseguimos suportar todas as despesas fixas do mês?

Tenho encontrado muitas teorias para planos de poupança. Uma delas é aquela que propõe que se poupe o valor em euros igual ao número da semana do ano em que nos encontramos. Isto é, na 1ª semana do ano poupamos 1€, na 2ª semana 2€ e por aí adiante. Claro que quando chega mais o final do ano, em dezembro, como estamos num mês com as semanas 49, 50, 51 e 52, teríamos de conseguir poupar nesse mês 202€. Será possível? Quem já fez este plano anual (que é motivador e ajuda muitas pessoas, mas muitas não o conseguem terminar) percebeu que conseguiu poupar num ano o valor de 1.378€. Mas se dividir 1.378 por 52 semanas, não seria mais fácil poupar 26,50€/semana?

Progressivo

Por fim, afirmo que a poupança deverá ter um propósito de progressão. Devemos ser cautelosos, mas também ambiciosos. Se no primeiro ano poupamos 10€/mês, devemos desafiarmos a conseguir aumentar esse valor com periodicidade. Isto é, depois de já termos estabelecido um padrão de vida que permite deixar para a poupança (que é um investimento em nós próprios) esse valor, então será mais fácil nos anos seguintes ser mais exigente. Vai ver que assim chegará com mais facilidade ao bom propósito de conseguir viver com 10% a 15% do seu salário aplicado em poupanças.

E o que fazer ao dinheiro?

Nunca se esqueça que o dinheiro poupado irá permitir concretizar sonhos, garantir a segurança financeira da sua família e gerar mais rendimentos no futuro. É verdade que ao colocar dinheiro numa aplicação financeira espera obter um retorno que se reforçará com o tempo. O fundamental será escolher uma ou várias aplicações e começar a poupar o quanto antes.

Sobre o autor

A Carteira

Deixe o seu comentário:

NOS


<%-- negocios e empreendedorismo --%> Blogs do Ano - Nomeado Negócios e Empreendedorismo