Crédito Poupança

Porque é que a dívida nos causa tanto desconforto?

dívidas
Written by A Carteira

Dívidas…A resposta pode parecer óbvia. Certo? Porque é que as dívidas são más? Será que são más? Se são más e se causam tanto desconforto por que motivos nos endividamos tanto?

O que significa endividar?

Mais uma pergunta com uma resposta evidente. Endividar significar pedir dinheiro emprestado. Significa usar recursos que não temos e dar como contrapartida um pagamento futuro, acrescido de juros (e com a banca que temos, comissões e mais comissões).

Qual o sentido das dívidas?

Endividamo-nos por uma série de motivos. Endividamos porque precisamos de uma casa e temos de pedir um crédito habitação (as tantas pode fazer mais sentido arrendar do que comprar). Pedimos crédito para poder comprar um automóvel. Ou muitas vezes temos a necessidade ou o desejo de consumir os bens de primeira necessidade com recurso a cartões de crédito.

Os mercados de crédito surgiram há bastantes anos atrás para facilitar o encontro entre quem precisa de dinheiro e quem tem a necessidade de dinheiro. Quem precisa de dinheiro tem de pagar um juro e quem empresta exige um pagamento. É simples certo? Mas por algum motivo culpamos as instituições financeiros pelo excesso de crédito…

A dívida gera arrependimento!

A possibilidade que temos de consumir com recurso ao crédito pode levar ao consumo excessivo. Pode-nos levar a comprar coisas que não precisamos ou não queremos. Pode implicar que tomemos decisões menos ponderadas e que cedamos às tentações das empresas. Gastamos demasiado porque é fácil. É fácil ter acesso ao crédito, porque ainda há crédito fácil. O problema surge depois…

No momento da compra não sentimos a dor do pagamento. Quando compramos e vamos para casa podemos beneficiar do prazer do consumo sem nos preocuparmos pelo seu encargo. O problema surge quando vem a prestação a pagar. Nessa altura possivelmente já não valorizamos tanto aquilo que compramos. Mas aí temos de pagar. E temos de pagar juros. E aí temos algum arrependimento. E culpamos o banco ou a financeira. Poucas são as vezes que nos culpamos por más decisões financeiras.

O que fazer?

O primeiro passo para melhorar a situação financeira passa por assumirmos as responsabilidades pelas nossas decisões. Temos de saber que temos responsabilidades nas decisões que tomamos e temos de criar estratégias para evitar cairmos de novo no endividamento. Temos de fazer um orçamento familiar (e cumpri-lo). Devemos deixar o cartão de crédito em casa, começando a fazer as nossas compras a dinheiro. Por último, iniciar um programa de entregas programadas para uma conta poupança de modo a criar alguma folga para imprevistos futuros.

Porque não sermos nós os credores dos outros?

Se a dívida nos causa desconforto significa que causa conforto aos nossos credores. Os credores são compensados, por um mecanismo de taxas de juro. Assim, por que não tornarmo-nos os credores? Por que não inverter as regras do jogo? Isso é possível através de poupanças e de investimento. E desengane-se quem pensa que só podemos poupar através de montantes muito avultados. Bastam alguns euros todos os meses para começar a poupar, criar hábitos de poupança e tornar-se o credor de outras empresas. Veja, por exemplo, a nossa experiência com os empréstimos a empresas da RAIZE.

Sobre o autor

A Carteira

A Carteira é constituída por uma equipa de profissionais com muita experiência no setor financeiro. A nossa missão é ajudar as famílias a ter uma melhor relação com o dinheiro. Acreditamos que é possível poupar dinheiro, investir tempo e dinheiro na melhoria das nossas condições de vida. E estamos cá para ajudar com os conteúdos para que possa tomar as melhores decisões financeiras.

Deixe o seu comentário:

NOS


<%-- negocios e empreendedorismo --%> Blogs do Ano - Nomeado Negócios e Empreendedorismo